quarta-feira, janeiro 16, 2008

Uma canja ao tédio


Tento não nego que tentei
Mas o que me bloqueia é o mesmo que me usa

E sinto por assim dizer, satisfeita
Negativando toda e qualquer resposta a indiferença

Tudo está em mim
Sei que só o tempo poderá algo a dizer

enfim um lampejo quero apenas que seja

que seja de qualquer forma
a forma com que se beija

Ah, o beijo, não surpreende
Deve haver um novo olhar perdido por aí
eu ei de descobrir
e fazer dessas frases soltas uma prosa verdadeira.