quarta-feira, janeiro 16, 2008

Lado a lado - de costas


Não quero que temas de achar-me louca ou em certos casos estática
Não quero que penses que não quero, quando na realidade desejo intensamente

Podem algumas cartas tomar-me de recordações, que tolamente venerarei

mas agora que as estrelas estão brilhando penso que se ma achares tola, é porque não houveram lágrimas para acalmar meu peito.

Acha-me louca, não temo
Acha-me assim absurdamente, assim penso
Acha-me apenas

Eu deixarei que tenha um pouco assim e talvez assim eu possa em qualquer espelho refletir, gotas de orvalho.

A sua presente ausência me destrói.